Viver Feliz

sOU
O avesso Travesso
De tudo Que
Me
Disseram
Para
Ser…
Sorrindo pulo
Picho o
Muro.
Antigamente as pessoas que viam anjos eram chamadas de santos, hoje são trancadas em manicômios, dopadas e suas almas encarceradas para sempre.
Nietzsche estava errado ao gritar aos 4 ventos que Deus está morto. Deus está muito vivo e sua respiração está tomando conta do mundo, mais do que nunca, e essas pessoas são a prova viva de sua presença. Por isso não podem ser vistas, nem ouvidas, pois se forem, vão lembrar o coração de todos da presença inabalável do espírito divino aqui na Terra.
Sem dogmas nem ritos, sem nenhum sacrifício, somente o vento de Deus soprando em todos nós.
Deus fala conosco através de sinais. Todo dia, o tempo todo. Só precisamos saber ler.
Havia um homem que recebeu um livro com todos os segredos da vida de um anjo. Ao tê-lo em suas mãos, ficou a olhá-lo, e o anjo disse – Abre-o – e o homem respondeu – Não posso, está trancado, não tenho a chave – e o anjo estendeu ao homem a chave do livro.
E o homem, abriu o livro.
E continuou a olhá-lo somente.
E o anjo disse – Lê – e o homem respondeu – Não sei ler – e o anjo tocou os olhos do homem e seus olhos decifraram as palavras ali escritas.
E então o homem olhou os olhos do anjo e disse – Essas palavras não me fazem sentido.
Quantos de nós recebe todos os dias respostas de nossas preces e não sabemos entender. Pois, simplesmente, não é aquilo que imaginávamos, não é aquilo que desejávamos, e sem entender que a amplitude de visão de Deus é bem maior que a nossa, teimamos em ter aquilo e somente aquilo que achamos ser o melhor para nós. E quando foge dos nossos planos, ficamos cegos e nada faz sentido para nós.

Viver Feliz

Olhar o mundo com os olhos de primeira vez, com os olhos de um recém nascido, confiando no mundo e na vida. Confiar e entregar-se nos braços da vida, com amor.
Eis o segredo da felicidade: Aceitar os presentes que a vida nos oferece, nesse momento presente onde estamos e vivemos, únicos e completos.
Perfeitos.
Assim como a vida é.

A Estrada do Amor

“Ainda que eu falasse a língua dos homens e a língua dos anjos
Se eu não tivesse amor
Eu nada seria. ”
Bíblia

Muitos pensam que o amor é uma estrada fácil, lindas rosas sem os espinhos.

Sim. Digo a vocÊs, o amor é simples. Mas não fácil.

Como todas as coisas verdadeiras, exige dedicação, abnegação, e uma estrada com passos resolutos a ser trilhada.

Nesse caminho, existe sol , existe chuva, temperaturas amenas e agradáveis, e tempos escaldantes que por vezes pensamos que não vamos resistir. Porém, o segredo do amor verdadeiro é que a cada desafio desses tempos difíceis, saímos mais fortes, iluminados e conscientes do que realmente vale a pena na vida.

Sim, amar é um exercício e se aprende amando. É um processo de todos os dias.

Fernando Pessoa, o poeta de múltiplas faces, assim como o amor, diz no poema Presságio:

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P’ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…

Aprendemos Com o amor que a alma fala mais que as palavras, que um olhar vale mais que mil pedidos de desculpas, e um abraço apertado recupera a alma já cansada. Mas acima de tudo, o que mais aprendemos com o amor é que nunca perdemos a esperança, mesmo nos momentos mais difíceis de uma relação. E que por mais chuvoso que esteja o dia, em nosso coração existe somente a luz do sol. Esperamos daquela pessoa amada sempre o melhor, acreditamos nela, mesmo e apesar de todos os seus atos ao contrário, e dela mesma já não acreditar. Teimosamente seguimos crendo na sua força, na sua luz , na sua bondade, na sua grandeza. Assim como Deus aposta e acredita em nós, mesmo, e apesar de, todas as decepções que lhe causamos. Mesmo quando não cremos nele, ele continua a acreditar firmemente em nós. Quando amamos alguém, verdadeiramente, imitamos Deus, despertamos Deus, e revelamos o Deus que existe em cada um de nós. Ao aprendermos a amar alguém, seja mãe, pai, filho, marido, esposa, ou até mesmo um animalzinho de estimação, estamos prontos para a próxima lição da vida. Amarmos o mundo todo e retornarmos ao todo.

amor de primos

Portanto, ame, ame muito, intoxique-se de amor, e então vá adiante. O amor sempre vale a pena, pois quem ama nunca tem uma alma pequena. O amor torna a quem ama grande, infinito, bonito.

Muito amor a todos.

Amor e Somente o Amor

Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava.

Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente.
Clarice Lispector.

Um rio sem correntezas, calmo constante e tranquilo, sempre acolhedor, e seguro. Essa não é a paisagem do amor humano.

O amor humano é desafiador, é exigente, faz com que estejamos abertos, disponíveis, para abraçar e acolher, em uma paisagem turbulenta, de uma represa aberta pela chuva, com toda a força da correnteza de água que a muito tempo estavam represadas.

Amo você, além, e apesar de tudo.

Pois, vejo você sem véus, sem raiva, sem culpas, sem arrependimentos. Olho para você e vejo você verdadeiramente, vejo sua essência.

Amar é poder ir além de todas as máscaras que o outro usa para nos afastar e persistir no olhar amoroso, mesmo e apesar de tudo.

Amar é ir além do lógico e confiantemente mergulhar no caos da alma humana, ter fé inabalável que aquela pessoas que temos em nosso coração está alí em nossa frente.

Quando amamos assim, com tamanho desespero, salvamos nossa alma. Ainda é Clarice que tão bem fala disso:

Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca.

Eis o nosso verdadeiro aprendizado na vida: amar e amar sempre.

dançando com amor

É por fim esse amor que nos eleva e nos salva de nos tornarmos julgadores rude e amargos, do tipo realista triste, desamparado e amargo.

Quero que o amor me banhe todos os dias em sua luz intensa e que minha alma dance e rejubile como a alma de uma criança. Pois só assim, conhecerei o céu, assim serei salvo.

Teimosamente Florindo

Apesar do inverno, existem pessoas que apesar de todo o sofrimento que a vida lhe impôs, teimam em continuar meigas, amáveis, esperançosas e lindas.
Cada vez que olho pela minha janela vejo essa linda árvore florida, florindo flores novas, apesar desde inverno rigoroso de Curitiba.

Alguns de meus pacientes são assim, mais fortes que o inverno em suas vidas, mais fortes que as hordas do mal e que os demônios.

Alguns de meus amigos também tem este requisito nobre de ser maior que os sofrimentos.

O que percebi nessas pessoas é uma fé inabalável na vida, na natureza e no super/sobre  natural que eles mesmos são. São pessoas que tem uma criança divina muito viva dentro de si e uma capacidade de ressignificação fantástica. Para cada coisa ruim que lhes acontece elas tem dentro de si uma história boa e significativa para contar. Nelas, elas encontram forças e esperanças para continuar caminhando e tornando-se diamantes lapidados.

teimosamente florindo

Diferente das vítimas tristes, raivosas e indefesas que cobrem sua vida, culpam os outros pelos seus sofrimentos de ser, tornam-se justiceiras implacáveis, ou melhor dizendo, perseguidoras implacáveis, estas pessoas brilhantes no verdadeiro e total sentido da palavra, se responsabilizam pelos seus atos, aprendem com suas experiências e brilham intensamente fazendo a diferença na vida. Eis a diferença real dos vencedores e dos perdedores: saber que podemos vencer somente a nós mesmos e perder somente para nós mesmos.

Quando avinagramos o vinho do nosso coração, perdemos o melhor de nossa essência e nos tornamos vampiros de nós mesmos, dos outros e da fé na vida. Sem podermos mais viver na luz, nos afastamos do sol e vagamos eternamente por noites escuras, sem nunca envelhecer, ou seja, mudar, repetimos decretos de julgamentos, procurando culpados, nos perdendo cada vez mais de nós mesmos.

Todos temos desafios, alguns maiores que os outros, e podemos optar em gritarmos com a vida como crianças raivosas ou avançar, olhando além da raiva, da culpa e do medo, optando por sempre superar, preencher os pulmões de puro ar de esperança, erguer a cabeça amorosamente e caminhar com passos firmes rumo ao horizonte indefinido, vendo o sol adiante.

A única verdade é a luz.

Abra os olhos.

Ser Transpessoal

Estou cursando uma Universidade da Luz. Não, não é uma metáfora, é realmente uma universidade da luz: Nazaré Universidade da Luz – Uniluz. Adivinhem o que faço lá? Especialização em Psicologia Transpessoal.
Se o céu existe, o endereço é a Nazaré Uniluz, e se mentores de luz existem o nome deles são Lia Beatriz e Thoné Daniel, os coordenadores desse momento de evolução. São pessoa que além de um conhecimento técnico profundo tem algo muito além, são seres humanos da melhor qualidade e com muita verdade, sem esforço. Nesse lugar encontrei mestres de verdade que acolhem verdadeiramente a luz e a sombra de todos aqueles a quem decidiram abraçar e ajudar a alcançar um estágio evolutivo maior, pois é assim que me sinto lá. Eles nos autorizam a sermos nós mesmos, sem truques e em nossa inteireza. Já estava meio desacreditada no mundo dos cursos e das muitas terapias, até encontrar Nazaré Uniluz e seu trabalho com a Psicologia Transpessoal.
Vou iniciar a publicação de alguns textos compartilhando minha experiência de lá com vocês. A seguir o primeiro deles. Sintam um pouquinho desse amor.

“A luz é a única realidade.”

Livro dos Mortos Tibetano

A Psicologia Transpessoal veio RE-velar, no sentido mais estrito dessa palavra, ou seja de mostrar, DES-velar, tornar claro, um homem maior que o behaviorista, o comportamental, feito apenas de estímulos/respostas e proposta de um ambiente imposto. Ela revela um homem conectado com um todo vivo que se forma e se transforma, fazendo sentido, como um projeto vivo em um caminho, em um processo.

A emergência da Psicologia Transpessoal foi o resultado de uma transformação em cadeia da vida na terra. Em meados para o final de década de 1960, surge a quarta força da psicologia conforme designou Abraham Maslow, um dos seus precursores. Os ventos do desassossego no mundo maquiado do consumismo norte americano e seu modelo perfeito de donas de casas felizes, com cabelos de “laque” e máquinas para limpar o lar-doce-lar cai por terra e um novo paradigma começa a emergir. O princípio da incerteza na física de Heizenberg golpeia fortemente Aristóteles e seu terceiro excluído quando apresenta os elétrons dançando a “realidade”, ora como ondas e ora como partículas. A interferência do observador na experiência observada exigem do homem concreto, cartesiano e aristotélico uma simultaneidade de identidade e um ver com os olhos fechados, andando em terras invisíveis. Toda a dita realidade, tão segura, real e concreta se desfaz como folhas que caem ao vento. No âmbito da biologia o próprio conceito de “vida” passou por uma profunda reavaliação. Com certeza a música do Lulu Santos cairia muito bem aqui: “Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia”, e como uma onda no mar o homem se desfez por inteiro, o patológico tomou conta  desse homem sozinho, isolado e agora, inseguro.

A psicanálise e outras correntes da psicologia surgem para tentar dar conta mas foi Maslow com seu homem auto-realizado que vai alem do divã ao olhar para o homem saudável, criativo e que tem sucesso na vida. A psicologia transpessoal lança um olhar a esse homem saudável e integrado, reconhece esse ser em diferentes estados de consciência e esses diferentes estados de consciência tornam-se o principal objeto de estudo. A capacidade humana da autotranscêndencia, da autorrealização, bem como sua dimensão espiritual é por fim reconhecida na psicoterapia.

O psiquiatra Stanislav Grof em seu livro “Emergência Espiritual – Crise e Transformação Espiritual” faz uma viagem pela alma e psique humana, trazendo a luz as varias facetas de uma crise de emergência, ou despertar espiritual e os estados de psicose. A diferença básica é que nos estados de esquizofrenia, nas psicoses, o sujeito definha cada vez mais, perdendo sua capacidades, deteriorando em sua humanidade e intelectualidade, enquanto nos estados de emergência espiritual, embora as crises sejam bastante semelhante, o ser humano RENASCE delas, mais forte, integrado e poderoso. A autotranscendência e a autorrealização são reconhecidas como a etapa final desse desenvolvimento.

Para mim a psicologia transpessoal traz que SER TRANSPESSOAL é um processo de transcendência e um constante VIR A SER, é mais um  tornar-se transpessoal. É importante ainda dizer, que a psicologia transpessoal, tem necessariamente um caráter transdisciplinar, no sentido em que integra o conhecimento interno e externo na inteireza de uma realidade transformadora. O universo, a realidade, estão indissociavelmente ligados. Quando expandimos a consciência compreendemos que, como cita a apostila do primeiro módulo de formação da Uniluz, “quando o sujeito se transforma a realidade se transforma na mesma proporção”, logo, o foco principal de psicologia transpessoal nessa visão é, como cita novamente esta mesma fonte, “A Expansão da consciência, porque a realidade vai responder na mesma medida e proporção em que esta expansão se realizar em cada individuo.”

“Cá Entre Nós” no seu E-Mail

Contato

R. Eugênio Ferdinando Lauer, 151
Jardim Schaffer, Curitiba - PR
CEP 80820-240
Telefone: (41) 3121-1769
Whatsapp: (41) 9582-4234
odegine@gmail.com




Cá Entre Nós no Facebook